Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Procon de Alagoas orienta grupo de idosos sobre consumo e aspectos emocionais
30/10/2017 - 19h45m

Procon de Alagoas orienta grupo de idosos sobre consumo e aspectos emocionais

Núcleo de Psicologia do órgão ministrou palestra para mais de 80 pessoas na Santa Casa de Misericórdia de Maceió

Procon de Alagoas orienta grupo de idosos sobre consumo e aspectos emocionais

O debate com os mais de 80 idosos foi promovido pelo Núcleo de Psicologia do Procon Estadual.

O desejo, o vazio e o consumismo. A relação entre essas três palavras norteou a palestra que a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/AL) ministrou, nesta segunda-feira (30), para o Grupo de Envelhecimento Ativo da Santa Casa de Misericórdia de Maceió.

O debate com os mais de 80 idosos foi promovido pelo Núcleo de Psicologia do Procon Estadual e apresentou algumas estratégias para evitar o desperdício e o consumo em excesso.

“É preciso conversar com esse público sobre o equilíbrio financeiro nessa faixa etária, queremos que eles pensem sobre a importância em administrar as finanças pessoais e como isso tem consequências na qualidade de vida”, afirma a psicóloga do órgão, Anne Rafaele.

Ainda de acordo com o Núcleo de Psicologia, a palestra com os idosos abordou assuntos como aposentadoria, poupança, a influência da publicidade no consumo, endividamento e como os aspectos emocionais influenciam no desejo de comprar.

Para a aposentada Lídia Maria, 66 anos, as orientações da palestra vão ajudá-la no dia a dia a refletir e questionar na hora da compra.

“Não é a primeira vez que participo das palestras do Procon e sempre são ótimas, pois nos apresentam soluções para economizar e não gastar sem precisar”, relatou Lídia.

No fim da palestra, o superintendente do órgão, João Neto, aproveitou o momento para falar sobre a importância da educação para o consumo independentemente da idade e realizou a entrega de certificados para os participantes. 

 

Por Débora Vieira e Amanda Oliveira

Ações do documento