Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Black Friday: Procon/AL orienta consumidores para que não caiam em armadilhas
17/11/2016 - 11h03m

Black Friday: Procon/AL orienta consumidores para que não caiam em armadilhas

Consumidor deve ficar atento à publicidade enganosa e falsas promoções

Black Friday:  Procon/AL orienta consumidores para que não caiam em armadilhas

Promoção em massa do mercado varejista, campanha transformou-se em uma importante data para o comércio eletrônico no Brasil (Foto: Ilustração)

Com a proximidade da Black Friday (Sexta-feira Negra, em tradução livre), promoção em massa do mercado varejista prevista para o dia 25 de novembro, o Procon Alagoas faz um alerta aos consumidores para que fiquem atentos às propagandas enganosas.

Assim como já acontece há alguns anos nos Estados Unidos, a campanha transformou-se em uma importante data para o comércio eletrônico no Brasil, mas, para que o consumidor aproveite de verdade esta oportunidade de compra, é preciso ficar atento.

A Black Friday tem como objetivo intensificar a venda de diversos produtos, tanto pela internet quanto em lojas físicas. Porém, é preciso ficar atento, pois nem sempre os descontos são tão vantajosos e, na correria para encontrar os melhores descontos, muitos acabam caindo em golpes e até se endividando.

“Antes da Black Friday, é importante que o consumidor acompanhe o preço do produto desejado, evitando cair em falsas promoções. Pesquisar é fundamental. Sites de comparação de preços são ótimas ferramentas para encontrar o valor de diversos produtos”, orienta o superintendente do Procon Alagoas, João Neto.

Apesar de diversos produtos apresentarem preços bastante atrativos, é importante avaliar algumas questões. A orientação é que o consumidor faça uma lista de produtos que caiba em seu orçamento; seja consciente e se pergunte: preciso comprar isto?

Também é prudente pesquisar o preço do produto em, pelo menos, três lojas diferentes, para não cair em golpes; e verificar a reputação da loja antes de comprar o produto.

Devolução de mercadoria

Pela lei, os clientes que fizerem compras pela internet ou fora do estabelecimento comercial, a exemplo de consultoras de porta em porta, têm o direito de devolver o produto em até sete dias contados, a partir da data da entrega.

Para compras feitas dentro de lojas físicas, a lei garante que, no caso de o produto apresentar defeito e o problema não for resolvido pelo vendedor ou fabricante dentro de 30 dias, o consumidor pode escolher entre três opções: exigir sua troca por outro produto em perfeitas condições de uso, devolução integral da quantia paga, devidamente atualizada, ou o abatimento proporcional do preço.

Em caso de redução no preço por defeito do produto, a informação deve ser prévia e clara. Além disso, o defeito não pode comprometer o funcionamento, a utilização ou a finalidade do item. Vale lembrar que o desconto nos preços não exime os estabelecimentos de observarem integralmente a legislação que protege o consumidor.

Precisando reclamar sobre ofertas não cumpridas ou para tirar uma dúvida, o consumidor pode se dirigir à sede do Procon mais próximo ou entrar em contato por meio das redes sociais, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

 

Por Amanda Oliveira

Ações do documento